Search

A estrutura que vai bater a Selic de 2024 já existe


Esta enganado quem pensa que os juros no Brasil atualmente estão em 2,75% a.a. Os investidores institucionais ja estão usufruindo de taxas bem gordas em torno de 9% a.a. e mesmo as pessoas físicas que contratam o Tesouro Direto hoje ja tem uma taxa contratada de 8,14% a.a. ,o que já equivale a 0,65% a.m caso aceitem um contrato de 3 anos pré-fixado.

Mas então porque a bolsa não desabou ou mesmo não tivemos grandes movimentos de migração da renda variável para a renda fixa?

Bem, contar a história do Brasil sempre merece cuidado pois como já vimos recentemente até o passado é incerto, mas o principal problema que ainda desanima na renda fixa se chama incerteza.

Temos a inflação que não para de nos assombrar e que apenas por alento olhamos o IPCA ao invés do IGPM na esperança de que o segundo índice em algum momento retome a paridade relativa com seu irmão do varejo.

Além disso temos as eleições, quem quer deixar o dinheiro preso até o meio do segundo mandato do próximo presidente ? Nunca foi tão difícil apostar num vencedor no atual momento político que o país enfrenta.

E fora tudo isso ainda temos uma pandemia que embora com real possibilidade de acabar nos próximos 12 meses esta longe de nos trazer a vida que tínhamos há cerca de 18 meses atrás.

Quem investe em Tesouro Direto sabe que as oscilações nas taxas é uma realidade, mesmo um título que paga taxas tão generosas pode ter oscilações negativas no curto prazo e ninguém descarta taxas bem ruins durante o período eleitoral a que seremos submetidos no ano que vem.

Já ia me esquecendo, ainda temos o descontrole fiscal e a taxa de câmbio que se forem contaminados pelo ambiente político podem aumentar a incerteza e , consequentemente as taxas, o que faria mesmo aquele investidor que hoje contrata um Tesouro Direto de mais de 8% a.a. passar a amargar um prejuízo enorme no final de 2024 se as taxas longas subirem para dois dígitos independente de ter estômago de segurar o investimento até o vencimento.


O que o pequeno investidor pode fazer num cenário tão desafiador?

Diversificar, portanto investir no exterior nunca fez tanto sentido, além disso, estruturar operações no Brasil para eliminar o efeito da volatilidade e receber Selic + Taxa de Derivativos.

Quem investe em opções de ações sabe que em operações apenas alavancando a estratégia e não o risco, é possível ganhar nas duas pontas, nas vendas de calls e puts que pagam taxas superiores a 4% a.m. a seco (o que não devemos fazer nunca) harmonizando com a taxa do Tesouro que sabemos , caso se segure até o vencimento pagará o seu valor contratado, portanto mais de 8% a.a..

Somando estruturas longas de opções de ações mais Tesouro temos a operação que irá trazer a harmonia necessária para um momento muito desafiador e emocionante para não dizer nada que se assemelhe a vender medo. E com isso poderemos enfim em 2024 poder planejar um novo horizonte já no meio do novo mandato presidencial.

Para fechar com chave de ouro temos que pensar nas ações como um investimento de longo prazo e sobre o momento certo de ter renda variável na carteira.

Você prefere comprar algo caro ou barato? O Brasil esta caro ou barato hoje?

Qual é o PIB brasileiro atualmente? Olhando apenas 2020 vimos um desastre de mais de 4% de queda com a pandemia. Se você esta no fundo do poço e a economia desabou exceto se você acha que nunca mais os imóveis e as empresas no Brasil serão lucrativos o que você faria? Investiria quando o PIB esta em suas máximas históricas ou no seu pior momento histórico?

Certamente acreditar em oportunidades quando há um colapso e num momento onde tudo tem que melhorar é um excelente motivo de acreditar e investir.

O Brasil vai voltar a crescer, talvez não volte ao crescimento que teve em 2010 e nem tão pouco ao melhor momento do Plano Real quando a inflação foi vencida mas irá voltar a crescer e isso significa que sim é um grande momento para investir em ações e olhando a taxa real de juros descontada a inflação ainda temos uma taxa bem pequena, o que aumenta ainda mais a probabilidade que as operações com derivativos se mantenham muito atrativos por vários anos e melhor do que isso, sejam impulsionados pela perspectiva de aumento de lucro das empresas.

Pensando nisso a Smart Business criou o produto certo que inicia com uma taxa de 1.25% am e que em 18 meses acompanhando a evolução da taxa de juros estará pagando 1.75% a.m. É a combinação de juros Selic crescentes mais taxas gordas dos contratos de derivativos inflados pela incerteza.

Quem já investiu em opções sabe que o principal componente do preço das opções se chama volatilidade.

O que é volatilidade ?



É o preço da incerteza. No Brasil esse ingrediente faz com que os agentes financeiros ganhem muito dinheiro pois se no exterior você precisa acertar na análise fundamentalista de uma ação para ganhar muito dinheiro, no Brasil você precisa receber o preço da incerteza em seus momentos mais dolorosos.

É possível sim que as taxas caiam a partir de 2023 refletindo talvez um cenário mais positivo de uma gestão púbica mais equilibrada e focada nas reformas que o país tanto precisa, o que traria menor volatilidade e taxas menos atrativas aos derivativos, no entanto, a Selic para 2024 ja estará no preço e mesmo num cenário de volatilidade baixa ainda somos um país em desenvolvimento, o que nos capacita a dizer que o preço das opções pode cair e se ajustar a um ciclo mais virtuoso mas ainda assim essa operação dificilmente até 2024 pagará menos do que 1,25% am retomando o primeiro estágio de remuneração que inicia com 1.25 am no primeiro semestre, 1,49% am. no segundo semestre e 1.72% am. no terceiro semestre. A partir do 4o semestre tudo vai depender da politica fiscal, inflação e Selic projetadas para 2028.

Reserve seu investimento e faça parte do seleto grupo que irá assistir as próximas eleições de camarote. O aporte deverá ser feito até dia 15-04. Não existe valor mínimo e não vai existir 2a chamada no curto prazo pois a abertura das taxas longas ocorreu um pouco antes do BC iniciar o ciclo de altas das taxas. Com esse cenário indicando uma inflação mais controlada no médio prazo e um dólar mais comportado com a retomada do Carry Trade que se inicia do exterior para o Brasil a tendência natural seria um fechamento das taxas longas a partir do 2o aumento da Selic que deve acontecer em 45 dias.

Rua Ana Carmelo Jurado Ferro, 425 - Sorocaba - SP

  • White LinkedIn Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
Send Us a Message

© 2020 by neXThinking Consultoria.